quarta-feira, 9 de outubro de 2013


HOLLEN: ANNINKA

Ps.: Estou postando mais um subplot do meu livro. Em mais esse capítulo, conto a história de Anninka nascida na Polônia.
Abaixo segue um breve trecho:

 "...Apesar de sua casa estar em colapso, com boa parte de sua estrutura em ruínas, e mesmo sabendo que não havia mais paredes para proteger a privacidade de seu lar, adentrou a casa usando a porta da frente. Muito frágil, emitiu estalos logo ao ser aberta, dando a impressão que a qualquer momento não resistiria. A menina notou que a maçaneta estava torta e teve certa dificuldade em girá-la. Lágrimas começaram a descer pelo seu rosto. Sua pele, que estava timidamente coberta por cinzas e fuligem, denunciou a trajetória de seu pranto. As lágrimas marcaram o seu pequeno rosto. Ao passar a mão, ligeiramente, um pequeno borrão se formou, deixando sua face ainda mais suja. Ela não se importava mais com esse tipo de vaidade, acabara de ver os destroços de sua casa sobre o corpo de seu pai. Apenas um dos braços podia ser visto. Ela se aproximou lentamente e de forma discreta se ajoelhou. Encostou seu rosto levemente sobre a mão. Começou a deslizar de forma tímida sua bochecha, como se ansiasse pelo carinho de seu genitor. Anninka sentia toda a textura e ranhura das mãos operárias de seu pai. Fechou momentaneamente os olhos e ficou ali, recebendo aquele afago."

Nenhum comentário: