quarta-feira, 5 de outubro de 2011




QUERO SER ILUSTRADOR

Ps.: Na semana passada tive o prazer de receber um covite da amiga Agnes Pires do site Gogojob para colaborar com a coluna Formação. Não pensei duas vezes e aceitei. Mas o que escrever? Já que sou ilustrador, pensei em dar alguns conselhos àqueles que gostariam de iniciar sua jornada como ilustrador. Acabei ressuscitando uma arte que já havia postado aqui no blog, apenas para compor.
Mais uma vez, sou muito grato pelo convite. Segue abaixo o texto:


Dicas a um futuro ilustrador

Como de costume, todos os dias a família se reunia ao redor da mesa para fazer as principais refeições. O pai na cabeceira da mesa degustava a primeira garfada de seu almoço e fitando seus filhos decidiu perguntar o que cada um gostaria de ser quando crescer.

- Fulano, você já pensou no que vai ser quando crescer? Perguntou o pai.

- Claro pai, advogado. Respondeu o filho

O pai, cheio de orgulho, olhou para o segundo filho e fez a mesma pergunta:

- Cicrano, você já pensou no que vai ser quando crescer?

- Claro pai, quero ser engenheiro. Respondeu o segundo filho

Neste momento o pai olhou para o terceiro filho e com um sorriso de satisfação disparou o mesmo questionamento:

- E você, Beltrano, já pensou no que vai ser quando crescer?

- Sim pai, quero ser ilustrador!

Você sabe desenhar? Sua família adorava mostrar seus desenhos às visitas? Toda vez que a professora passava um trabalho na escola você sempre era disputado pelos coleguinhas para desenhar? Você já cresceu? Então prepare-se, pois você tem grandes chances de se tornar um ilustrador.

Acho que ninguém cresce escolhendo de cara se tornar um ilustrador. Lembre-se que desenhar é bem diferente de ilustrar, ou seja, ser um ilustrador profissional requer mais do que apenas rabiscar no papel.

Ser um ilustrador não é para qualquer um, até porque nem todo mundo que desenha, ilustra.

Pela definição do Wikipedia, ilustração “é uma imagem pictórica utilizada para acompanhar, explicar, interpretar, acrescentar informação, sintetizar ou até simplesmente decorar um texto”.

Se você chegou até aqui é porque tem coragem, pois bem, para se tornar um bom ilustrador profissional é preciso unir talento, capacidade técnica, competência, profissionalismo, foco, muito estudo e acima de tudo, paciência!

Talento é o primeiro passo. Descobrir que sabe desenhar é fundamental para iniciar sua jornada como um futuro ilustrador profissional. Legal, não?

A capacidade técnica está ligada na dinâmica de suas artes. Desenhar à mão livre, usando grafite, aquarela, bico de pena, trabalhar bem a luz nos objetos, perspectiva, dominar a anatomia humana, e por aí vai. Cursos podem ajudar muito para melhorar suas técnicas ou até para descobrir novas. Algumas pessoas insistem em achar que só o papel resolve, mas no mundo de hoje (e não é de hoje), precisamos de um pouco mais, sendo assim, dominar o uso do computador ajuda bastante. Utilizar técnicas vetoriais, pintura digital, contribuem bastante para o desenvolvimento do profissional, uma vez que se ganha tempo e todos sabemos que tempo é algo a ser levado em consideração nos dias atuais. Programas como “Illustrator” e o “Photoshop” são fundamentais.

A competência é um dos carros-chefes. Se você possui essa característica você vai longe, pois tem que ter muita competência para se manter no mercado, muito jogo de cintura para driblar as adversidades. A maioria esmagadora dos ilustradores trabalha de forma autônoma! Estamos por conta própria, meus caros. Não gostou, “pede para sair”!

O profissionalismo é deveras importante; prazos existem e precisam ser cumpridos. Você terá que ser rápido. Um minuto... mas não dizem por aí que a pressa é inimiga da perfeição? Pois é, concordo, mas se você olhar para o lado, verá a concorrência com a faca nos dentes esperando você vacilar para entrar na disputa, ou você achou que seria o único que trabalharia como ilustrador?!

O mercado está cheio de gente querendo o seu espaço, por isso ser competente, e profissional, exige um esforço ainda maior. Estabelecer-se é difícil, mas quando você consegue, e pensa que está bem, é aí que as coisas podem complicar um pouquinho mais. É preciso manter o foco! E o que é manter o foco? Não se distrair durante o trabalho, manter a concentração no que você está fazendo. Fazer-se notável. Visibilidade ajuda bastante na hora de divulgar o seu trabalho.

Criar um blog é um bom começo. É de graça! Uma ferramente e tanto. Preste atenção, o blog é o seu cartão de visitas, por isso, coloque o que você tem de melhor, pois a primeira impressão é a que fica! Lembre-se, nem tudo que você faz acaba indo para a pasta, até porque, você precisa sobreviver e num momento ou outro vai fazer trabalhos apenas visando o ganho, deixando o amor à arte em segundo plano... ora bolas, você precisa pagar suas contas!

Tendo criado um blog, saiba que a internet é fundamental. Um mundo de possibilidades está alí na sua frente, então navegar é preciso! Pesquisar e estudar são pontos fundamentais para melhorar o seu estilo e diversificar as suas possibilidades artísticas. Ficar preso a um único traço é como dar um tiro no pé! Colocar diversos trabalhos com diversas técnicas é interessante, mas cuidado para não transformar sua pasta em uma colcha de retalhos, pois podem achar que você não tem uma base definida.

Você é o que você estuda. Nunca pare de estudar, ler é fundamental, quanto maior for o seu conhecimento, maior será o seu leque criativo. Não fique acanhado em correr atrás de referências. Eu trabalho com referências e muita gente boa faz uso deste recurso. Lembre-se, referência não é copiar!!! Nunca copie!!! Ser original vale muito mais a pena. E mais, fazer parte de fóruns pela internet também pode ser bem interessante.

Acho que chegamos à paciência. Paciência é um elemento fundamental, pois em sua jornada você vai se deparar com clientes espertinhos que farão propostas indecorosas para você, como “pagar” pelo seu trabalho com divulgação por exemplo. Fuja desse cara! Ninguém trabalha de graça. Você se projeta com o seu talento. Existem outras formas de divulgar o seu trabalho e você é o único que sabe como fazer isto, não os outros!

Nunca comece a ilustrar sem antes estabelecer o orçamento. Você precisa saber onde está pisando! Saber cobrar é importante também. Não se esqueça que cada cliente tem sua particularidade, ou seja, o orçamento difere para cada um, mas sempre seja justo e ético. Em um momento ou outro você levará o famoso calote. Não esquente, isso acontece com todos! Com o tempo, você verá mais claramente o caminho a seguir e acabará escolhendo melhor com quem trabalhar. Outra coisa fundamental: às vezes um “não” vale muito mais que um “sim”. Não diga sim para tudo. Nem tudo vai valer um sim.

E por último, atente para alguns guias importantes disponíveis para ilustradores. O Guia do Ilustrador, por exermplo, pode ser um grande ponto de partida caso você queira se tornar um ilustrador profissional. É só baixar e ler!

Espero que tenha aberto possibilidades e esclarecido dúvidas. Ah!... O que acontecerá com a escolha do terceiro filho da historinha acima? Só o futuro dirá... boa sorte!


Link da seção Formação:

Gogojob

Link do Guia do Ilustrador:

Guia do Ilustrador

2 comentários:

Lady Lazarus disse...

Ótimo texto. Muito esclarecedor para quem pretende se lançar na carreira de ilustrador ou até mesmo para quem só tem vontade de se lançar rsrsrsrs como eu que já tenho minha profissão - sou psicóloga - mas adoro moda, ilustração de moda, design de moda.
Achei importante citar o conceito de ilustração e também quando diz que nem todo mundo que desenha ilustra, de fato até pra mim que sou leiga, uma mera consumidora e apreciadora vejo que é bem diferente mesmo uma coisa da outra. Parabéns pelo texto e vou continuar acompanhando seu blog.

RAPOSO disse...

Muito obrigado pela visita, pela leitura e pelo comentário... Fique à vontade para acessar o blog sempre que desejar! Estou atualizando com frequência, é bom ler opiniões diversas.

Abração!