segunda-feira, 30 de agosto de 2010



Ps.: Já que meu filho havia sugerido a ilustração da "Mula", mostrei a ele a ilustração pronta, para saber sua opinião. Ele olhou e disse: "não é assim...". Foi no quarto e voltou com a versão dele, e disse: "É assim papai". Ok...estou postando a versão oficial da "Mula", ilustrada pelo meu filho Gabriel.


MULA-SEM-CABEÇA
Técnica: Digital (Illustrator e Photoshop)

Ps.: Como estou com algum tempinho (coisa rara), aproveitei para fechar a tríade das ilustrações com o tema folclore. A da vez é a mula-sem-cabeça, a pedido do meu filho Gabriel, que está estudando folclore na escola. Eu converso bastante com o meu filho e ele está me ajudando ultimamente, me dando ideias para eu postar aqui no blog. A bem da verdade, ele está descobrindo a arte aos poucos e disse a mim que quer ser "desenhador" hehehe.
Gostei do caminho que trilhei para executar essa mula. Deixei de lado um pouco o colorido, fazendo algo mais denso e beirando ao cordel. Não é cordel, mas acabei usando essa linguagem para dar o ponta pé inicial nesta arte.
Vou dar um tempo no folclore e focar em outras artes. Em breve tem mais!!!
Seguem alguma informações da lenda:

A mula-sem-cabeça é um personagem do folclore brasileiro. Na maioria dos contos, é uma forma de assombração de uma mulher que foi amaldiçoada por Deus por seus pecados, muitas vezes é dito ser uma concubina que ter feito sexo dentro de uma igreja com um padre católico, e condenada a se transformar em uma criatura descrita como tendo a forma de um equino sem a cabeça que vomita fogo, galopando pelo campo de entardecer de quinta-feira ao amanhecer de sexta-feira. O mito tem várias variações sobre o pecado que amaldiçoou a mulher a se transformar no monstro: necrofagia, infanticídio, um sacrilégio contra a igreja, fornicação, incesto, etc.
Acredita-se que o mito tenha uma origem medieval Portuguesa, e deve ter sido trazido ao Brasil no início do período colonial (século XVI ou posterior). Na Espanha há um mito semelhante conhecido como a Muladona.
O conto é mais popular nos estados de Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso, mas é bastante conhecido em todo o país. Mitos semelhantes ocorrem em países vizinhos latino-americanos, como, por exemplo a "Mula Anima (Alma Mula)"(Argentina). (FONTE: INTERNET)

Um comentário:

emersonfialho disse...

Fala amigo Fernando, beleza?

Muito legal a opinião do filhão!
Também tenho um de 6 anos que também vai pelo mesmo caminho... Temos que incentivar, meu amigo! Tá no sangue! KKKKK

Parabéns pela ilustra do pequenino e a do pai também.

Grande abraço e fiquem com Deus.


Emerson Fialho